quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Sininhos pais natais anjinhos prendinhas e miminhos!

Não me vou estender com discursos natalícios dignos do nosso primeiro ministro!


Apenas vou desejar um óptimo e feliz natal!






Até já...

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Quem é aquela mulher?





Poderia ser minha vizinha, a florista da esquina, a esposa do dono do café, a funcionária dos correios, a minha antiga professora... qualquer uma delas poderia ser a Margarida da Praça.

Mas afinal, quem é a Margarida da Praça?!

Quando começei a projectar este post veio-me a ideia a imagem de uma mulher entregue a sua boa ou má fortuna, uma mulher sacrificada ou abençoada pela vida, uma mulher solteira de amores ou casada de desamores... Quem sabe se não uma mistura de tudo!


Imaginei também a Margarida da Praça sentada num banco de madeira a entrada da cozinha do seu restaurante em Viana do Castelo, bordando panos de linho. A pensar numa nova receita de bacalhau... a que viria chamar-se inevitavelmente Bacalhau à Margarida da Praça. Prato regional de bacalhau de Viana do Castelo.


Viana deixa-me sempre belas recordações, óptimos momentos passados numa cidade tão genuína! Margarida da Praça não nos poderia deixar ficar mal... Entregando-nos o coração de Viana.













Bacalhau à Margarida Praça









Numas brasas assar as postas de bacalhau. Entretanto pôr as batatas a cozer inteiras e com casca. Quando estiverem cozidas retirar a casca e cortar as batatas em rodela grossa. Dispor numa assadeira de barro ou num pirex a batata e reservar.



Quando o bacalhau já estiver assado, mergulha-lo numa panela com àgua a ferver. Deixar levantar fervura e agurdar uns 5 minutos. Retirar o bacalhau da agua e lasca lo livre de peles e espinhas.





Colocar o bacalhau por cima da batata e polvilhar ligeiramente com um pouco de pimenta. Regaro bacalhau com uma cebolada muito fina feita com bastante azeite e alho.







Para terminar vai ao forno... É óptimo! A foto é que podia estar melhor...

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Sem Tabus...





De volta as aulas! É verdade... Já não me lembrava o que isso era.

Tirar fotocópias e apontamentos, trabalhos individuais e de grupos e estudar para os exames finais!
Tudo numa correria misturada com um dia intenso de trabalho!


Confesso já tinha saudades! Vale a pena o sacrifício...


Venho falar de cozinha regional portuguesa e espero eu começar aqui a fazer uns post de alguns petiscos que estou a aprender!!!

Módulo esse bastante interessante!

A cozinha portuguesa é tão vasta e cheia de contrastes, com umas belíssimas tradições gastronómicas.

Varia de norte a sul segundo as necessidades e disponibilidades de alimentos de cada região.

Tudo faz sentido e encaixa-se na perfeição... desde os caldos bem nutritivos e quentes da Serra Amarela até ao gaspacho Alentejano fresco e aromático. Desde do arroz de sarrabulho à moda de Ponte de Lima até aos carapaus manteiga do Algarve. E tanto mais!


Hoje à noite o jantar foi um bacalhau à Margarida da Praça! De...


Não digo! Acho que vale a pena pesquisar. Estava uma delícia... e com tradição!





terça-feira, 18 de novembro de 2008

Mais confusa me deixas...





É ou não é? Será ou não será? Quem sabe, talvez... De todo! Confusos?!!! Também eu...
Mas que rodopio aqui vai.

Começo a defender cada vez mais que, nada deve deixar de ser dito... Convenço-me mais disso cada dia que passa.

Isto porquê?
Porque nada será eterno se não lhe for dado vida, uma forma, um modo carinhoso de o dizer para ficar no ouvido para sempre... Gosto de dizer coisas bonitas...

...E adoro ouvi-las também!

Pode ser de um modo atrapalhado ingenuinamente falado mas foi dito... agora dar a entender... Para quê? Para dar lugar a dúvida... Não obrigada!
A dúvida roí até ao tutano, alastra-se pelo corpo todo, desenvolvendo uma sensação de desconforto numa fracção de segundos que dura tempos infinitos a passar.

Doí tanto. Doí demasiado.

A dúvida mata! (um óptimo slogan para a indústria tabaqueira!)

Há já 1 mês que comecei uma nova etapa da minha vida... e hoje tive a certeza! A comunicação deve ser feita de forma clara, directa e concisa!

Eu quero tudo de volta, quero retomar onde tudo ficou, quero recomeçar, quero acabar o que não deu, quero-te de volta e tu?

Meus amigos... não ficam a espera da resposta!

Talvez eu nunca irei tê-la... Mas pelos menos foi dito.


Tal como a receita que aqui fica...





Pataniscas de Ricotta, Chouriço e Grelos










Para 250gr de queijo Ricotta

125 gr de farinha
2 ovos
1,4dl de àgua
o,7 dl de leite
Chouriço
Grelos
Azeite



Colocar um tacho com água e quando esta tiver a ferver introduzir os grelos. Nunca tapar o tacho... ai está um belo segredo para conseguirem um grelos com uma bonita cor esverdeada.
Quando estiverem cozidos, escorrer os grelos e reservá-los.

Entretanto numa tigela colocar a farinha, os ovos, o leite e a água e misturar tudo. Adicionar o chouriço picado e o queijo ricotta. Temperar a gosto com sal e pimenta. Juntar os grelos a massa.


Agora é so fritar...




Elas até ficam verdes!





"Baby you're bad news
I don't care I like you... "


segunda-feira, 20 de outubro de 2008

North ... South... Where??? Who cares...




Encantada. Viajada. Atrevida. Jovial... Estou a falar de uma música do grupo Clã que recentemente tem passado nas rádios. A dada altura, Manuela Azevedo canta " vamos juntos lamber o Céu".

Lamber o Céu... se isso realmente fosse possível qual seria o seu sabor?!


Doce como o algodão-doce, amargo como o arrependimento, salgado como o mar, ácido como a culpa ou umami como beijos?


Para além de descobrir que se podia lamber o Céu como se fosse um gelado ou um chupa chupa ou um caramelo ou uma pastilha elástica Gorila ou um Sugus ou uma Bomboca, descobri que passei a adorar a letra da música!


Já disse por aqui que adoro sonhar, que me façam sonhar... pode ser com uma música, com essa música, com um livro, com uma palavra ou um olhar, com qualquer coisa mas que tenha amor, ternura.


Esta música tem tudo.


Tem Mundo.
Tem tanto para imaginar e viajar... criar um Mundo a nossa medida. Não seria giro?!

Foi o meu desabafo... o que essas rádios não fazem a uma pessoa! xiiiiiiiiiiiiii...


Talvez seja melhor passar para o meu gelado!





Gelado de Limão com Doce de Amora









Pode não ser o Céu mas garanto que é muito bom e confesso que lambi a taça!

Querem experimentar? Então "vamos juntos" e paramos na merceria para nos abastecer.


2 pacotes de natas
5ovos
10 cc de sopa de acúcar
4 folhas de gelatina
2 limões





Num recipiente colocamos as 5 gemas com o açucar e batemos tudo muito bem até obter uma massa fofa... tal como as nuvens!


Entretanto pomos a bater os 2 pacotes de natas. Colocar as folhas de gelatina previamente demolhadas com o sumo de limão e levamos ao micro ondas durante uns 40 segundo... Uma viagem super rápida como podem ver.

Misturamos o sumo de limão ao creme das gemas, as natas e incorporamos com muito cuidado as claras batidas em castelo.


Só mais mais uma paragem nessa delícia de sonho... Ao colocar o nosso gelado num recipiente próprio para congelador, dispôr por camadas o gelado, doce de amora e assim sucessivamente!


Já Está!





Viajar é olhar...









domingo, 12 de outubro de 2008

Abracadabra... vem fazer de conta




Pois bem!


Temos a fama... é tirar o proveito portanto! Confusos?! Vou passar a explicar-me...


A semana passada li um artigo todo ele dedicado as mulheres, as nossas perdas e aumentos de peso durante o Inverno! Que bom... Nada melhor que um artigo ridículo para não me tirar o apetite nem os olhos da minha cozinha!



Salada Mista com Tomate Seco, Camarões e Molho Cocktail








É uma salada muito prática e super rápida. Em primeiro lugar cozer os camarões com piri-piri, uma folha de loureiro e sal.

Entretanto lavar a alface, cortar os tomates em cubos pequenos, cortar em juliana muito fina cenoura e couve roxa.


Numa taça ou numa saladeira dispor todos os ingredientes a gosto e regar com molho Cocktail.
O molho cocktail... é mesmo aí que quero chegar!
Esse molho é óptimo e não é dado a esquesitices. Acompanha na perfeição marisco, peixe, carne, saladas... talvez seja um pouco hiper-calórico! Digno de efeito yo-yo??? Não me parece!


Molho Cocktail


Colocar numa taça sal, pimenta, mostarda de Dijon um pouco de sumo de limão e mexer tudo.
Juntar ketchup, aromatizar com brandy e vinho do Porto seco.
Adicionar um pouco de Tabaco e molho inglês.
Juntar maionese, ligar tudo muito bem e terminar com um pouco de natas batidas.






É caso para dizer,

Thank you very light... Vou passar a ler mais artigos daqueles! Inspiram-me!







quarta-feira, 8 de outubro de 2008

C'est chic!




Início de uma nova estação! Outono... Estação para muitos adorada, para mim nem por isso! Prefiro sem dúvida alguma a Primavera, sinónimo de cor, de renovação e boa disposição.... e algumas alergias!


Pois bem... não tenho varinha de condão nem super-poderes para passar o Outono e saltar directamente para o calor.


Por isso, aceito-o.

O "diário de uma patanisca" veste-se com novas cores, tudo colecção Outono-Inverno 2008... Very Trendy!



terça-feira, 1 de julho de 2008

Mapa

De viagem com Miguel Sousa Tavares por São Tomé e Príncipe... já não sei quando voltarei!
Terra quente e húmida prendeu me! Será que voltarei? A imaginação também esgota... afinal artista também sofre!!!
Preciso de descanso e de mais alguma coisa... deixo os cozinhados para o regresso desta viagem que ainda vai a meio!
Até la...

terça-feira, 13 de maio de 2008

Devaneio dela... Pobre dela






Sonho porque digo quero sonhar...




Sonho até quando digo que sou realista! Já tinha dito por aqui... gosto de ver o mundo as cores e quero mais e mais e sempre mais.

Chamem-me persistente e insatisfeita, não me ofendo...


Sou uma mulher de sabores?

Penso que sim.


Gostava que a minha pele cheirasse a Caril as segundas à noite, quarta de tarde e domingo de manhã, Açafrão à terça o dia todo, a Hortelã-pimenta ao sábado, ao Cravinho-da-Índia, ao Alecrim, a Canela... rastejar pelo mundo fora e carregar um sorriso apaixonado de paladares! Porque não?




"Quero ficar no teu corpo feito tatuagem

Que é pra te dar coragem

Pra seguir viagem"




Já o dizia Chico Buarque...



Viver num mundo rodeada de pormenores em busca do amor perfeito, da perfeita sintonia! Passear pelas ruas de Paris ao som de Yann Tiersen, falar por Yann Tiersen... pegar na tua mão sabendo que não estás lá e susurrar ao teu ouvido músicas de Édith Piaf



"non, rien de rien, non, je ne regrette rien..."






Sonhos



É doce




É amargo

É colorido

É picante

É ácido

É belo






Demasiado belo...




É saborear... e sonhar! Dizem que o segredo está na massa? Naaaaaaaaaa... no sonho!



Ah! Podem acrescentar um q.b a esta receita, fico a espera!










MusicPlaylist

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Mil folhas, mil tempos, mil palavras...






A receita de hoje surgiu de recordações... De momentos que já foram. De traquinices e brincadeiras. De liberdade e inocência. Dos tempos de criança...



Incrível como tempo passa... num piscar de olho!




Lembro-me perfeitamente, ainda era eu abaixo do metro e meio, sonhava com a minha fase adulta, que na altura nunca mais chegava.




Imaginava-me cantora de ópera, operadora de caixa, veterinária, jornalista, advogada, historiadora, arqueóloga, fiscal e camionista!!!! (ser camionista ainda continua no meu pensamento...)




Dançava, cantava, dançava, rodopiava, cantava outra vez... sempre que podia! O meu gira-disco andava sempre atrás de mim acompanhado com os discos de vinil da minha mãe. Talvez a expressão "vira o disco e toque o mesmo" surgiu com essa minha mania insistente e persistente!




Já tudo estava programado, pequeno-almoço, almoço, lanche e jantar: cereais! Cereais o dia todo, de todos os feitios, tamanhos, cores e sabores... o imporatnte mesmo eram os cereias!





Por incrível que pareça não cresci muito mas os cereais continuam no mercado!




Como dizia o nosso Camões "Mudam-se os tempos, Mudam-se as vontades". (Quase) nada perdura!




Mil folhas devoradas , mil tempos passados, mil palavras ditas... sopradas no vento e levadas! Se as palavras fossem como as partículas de pólen, seriam espalhadas por aqui e por ali e viajariam pelo Mundo fora... ainda ouviríamos frases ditas ontem ou onteontem ou há uma semana ou há um ano quehorror porfavornãomedeixes queidadetem okcombinadoatéjá ohmygod pimpampumcadabolamataum danke aquehoraséojantar perdone s'ilvousplait... um zumbido de palavaras! Nada se perderia no tempo nem ninguém...



Mas como estava a dizer a receita de hoje é uma lembrança, um recordar do passado.


Um recordar doce.


Voltando aos tempos de criança dei largas a imaginação e alterei a receita-base, sem maldade sem malícia apenas com a mais pura e boa das intenções...




Mil-folhas de Frutos Silvestres













Em primeiro lugar estender a massa folhada e recortar um rectangulos do mesmo tamanho. Cada mil-folhas terá 3 placas de massa folhada. Pode fazer em tamanho familiar mas prefiro, não por birrice, os mil-folhas individuais.


Untar uma forma com um pouco de margarina e farinha e colocar as placas de massa folhada. Levar ao forno até ficarem douradas. Reservar.



Entretanto, misturar 3 colheres de sopa com a mistura de frutos silvestres que pode encontrar na secção dos congelados. Levar ao micro-ondas durante cerca de 2 minutos.



Numa tigela misturar 2 gemas com 150gr de açúcar até obter um creme esbranquiçado e fofo. Misturar 1 pacote de natas batidas com iogurte natural. Envolver tudo muito bem. Adicone os frutos silvestres.



Num prato coloque uma placa de massa folhada, uma camada de creme de frutos silvestres e assim sucessivamente até obter 3 camadas!



Para terminar a brincadeira salpica com algum frutos silvestres e sirva bem frio!





"Um sonho pra mim..."



segunda-feira, 31 de março de 2008

Shiuuuuuuuuuu...





Mais dedicada a leitura que propriamente as novidades culinárias não podia deixar passar um pequeno post sobre a peça de teatro que anda a roubar os meus sagrados minutos culinários!

Tudo assim começou...

Após um longo momento a procura do livro ideal na biblioteca municipal de Patanisca Wonderland (simmmmm também temos cá disso por aqui!) deparei-me com um livrinho que despertou-me imensa curiosidade.

"O FRIO QUE FAZ NA CAMA" de António Manuel Revez , uma peça de teatro sob o tema do amor esquecido, que tantas vezes fora jurado eterno.
De promessas feitas e não cumpridas, do desrespeito ao egocentrismo. Da necessidade de se ser ouvido, embalado, abraçado... de algo que aqueça a alma...e a cama! Tudo isso numa conversa entre 4 personagens, casais aliás, desorientados a procura de explicações em torno do perdido!
Mais interessante é a capa do livro... o que me chamou mais a atenção. De capa totalmente branca com o título da peça centrado de cor preta com um grafismo gélido e o símbolo de refrigeração a acompanhar... Um verdadeiro frigorífico de emoções, sentimentos, juras e amor.


Na minha opinião, vale mesmo a pena abrir a porta desse frigorifico! Mas cuidado não se deixa gelar por ele!


Defensora do muito amor, da paixão, da alegria e de mais e mais e mais, aproveitei a onda e decidi espalhar um pouco de calor neste fim de semana!
Fica aqui o aviso, esta sobremesa deve ser saboriada quente, muito quente e lentamente para nunca mais acabar.


Almofadinhas de Massa Brick recheadas com Maçã Caramelizadas e Gengibre











Lave as maçãs, corte-as em quartos e retira-lhes os caroços. Retire a pele do gengibre e corta em lâminas muito finas. Faça o mesmo com as maçãs.


Numa frigideira derreta um pouco de manteiga e adicione as maçãs e o gengibre. Deixe saltear um pouco. Entretanto polvilhe o preparado com 3 colheres de sopa de açúcar e deixe caramelizar. Adicione um pouco de vinho do Porto e puxe fogo. Para finalizar regue com o sume de meia laranja e deixe ferver.

Estenda a folha de massa brick e coloque no meio o preparado de maçã com gengibre. fecha de forma a obter uma almofada.

Frite as almofadas numa frigideira com óleo bem quente duarante cerca de 2 minutos. Polvilhe com canela... e cuidado com a língua!




É muito quente... já para não falar do gengibre!







"O amor é tudo,
Amor é asas,
Amor é Momento,
Amor é sede, Amor é agua,
Amor é mundo, Amor é alimento,
Amor é corpo,
Amor é alma,
Amor é magia,
Amor é do vento eternamente.



Eternamente."

terça-feira, 18 de março de 2008

Nothing sweet about me...




Falemos de palavras doces, de meiguice e de desejos... Afinal é Páscoa! O chocolate é o nosso anfitrião... que sejamos bem vindas!

Recebemo-lo de cálice de vinho do Porto na mão com aquele ar soberbo e altamente sedutor! Hummmm...Que seja mesmo bem vindo...

A sua presença não é indiferente para ninguém.

Apanhado na rede das mais astutas tento chamar-lhe a atenção!

Difícil encontrá-lo?! Não... cheira tão bem é demasiado fácil segui-lo... "ohhh boy..."

Aproximo-me dele, serena capaz de esperar uma centena de momentos por ele, penso "heaven shall burn".


Arde, queima e delicia... tudo num bolinho de chocolate!






Fondant de Choc no Choque Microwaves















O que foi dito foi dito e assim o disse...

Patanisca - És um belo chocolate culinário com 150gr... misturado com 50gr de manteiga e 3cc de sopa desse meu vinho do Porto "ohhhh boy" eu não te resistiria...


Fondant - E é para mesmo não resistir... que mais?!


Patanisca - Levava-te até ao meu micro-ondas e derretias-te assim... durante 1 minuto e meio! Sou meiga...

Depois juntava-te 5 gemas batidas com 50gr de acúçar... "Cause I think you're kinda sweet"



Fondant - E depois...


Patanisca - Depois usava os meus ramequins. Untava-os com um pouco de margarina e farinha e voltavas para o meu micro-ondas durante mais 50 segundos... só peço isso, 50 segundos!


Depois... depois não me escapavas mais!



...



Afinal?!!! Para onde foi o coelhinho da Páscoa?!


quinta-feira, 6 de março de 2008

Em cada gesto perdido tu és igual a mim...




Assim defino-me, com apresentações tardias mas assim eu sou... uma perdida!


A verdadeira Patanisca.


O Mundo é a minha frigideira.



Sou lançada com toda a força para um mar de óleo quente, começo a fervilhar, a rodopiar, a tostar a espera de um gesto de piedade... Assim lá fico por mais 5 minutos... Tudo me passa pela cabeça!

Cor favorita? Lilás. O meu número preferido? o 14! Dia da semana? 5ª feira sem dúvida! O que mais odeio? O mau hálito... arrepia-me! Por falar em arrepiar... a madeira. Não consigo mexer em madeira, ah! e unhas... bahhhhh!



Do que gosto? De muita gente... Gosto amar e ser amada... Gosto dar e receber... Gosto de beijar e ser beijada!



Adoro sussurrar ao ouvido e dizer que tenho fome! Prato favorito? Tudo o que tiver massa! Pão quente hummmmmmmm, chocolate aiiiiiiiiii, gelados xiiiiiiiiiiii... Não sou de todo esquisita!



Um pouco sonhadora sim, vejo o mundo as cores! Mas gostava de vê-lo com mais cores, com mais sentimento, com mais força e mais e mais e mais... Com paixão! Com sabores, com tradições tal como a cozinha... Se fosse um legume? Uma malagueta ou uma beringela, Aubergine como dizem os ingleses... adoro essa palavra!



Vagueava pelo Mundo e parava em Cabo Verde... Ali relembrar-me-ia de palavras ditas, de gestos perdidos, de promessas esquecidas, da saudade sentida, do adeus nunca dito...



Sonhos? Todos os dias... A espera de algo melhor, de mais formidável, algo que me faça rir, que me faça sentir eu ...



perdida!



Como a verdadeira e genuína Patanisca presa na frigideira...




A Patanisca






400gr de polvo já cozido
250gr de farinha

4 ovos

2,8dl de água

1,4dl de leite

1/2 cebola

Azeite

Salsa

Alho

Sal e pimenta q.b


Cortar o polvo já previamente cozido.

Numa tigela colocar a farinha com a cebola, a salsa e o alho tudo picado. Juntar os ovos 1 a 1 sempre a mexer, a água e o leite, o polvo e o azeite. Por fim temperar a gosto com sal e pimenta.

Numa frigideira colocar óleo e deixar que esse ferva. Com a ajuda de uma colher de sopa moldar umas pataniscas. Quando estiverem douradas retira-las do óleo.




Dê uma trinca e quem sabe... perde-se também!



sábado, 1 de março de 2008

Perdi-me na promessa de ser encontrada...




Este post podia começar com uma notícia de abertura do género " Patanisca Encontrada na Apanha do Morango em Espanha" mas não...
Até tinha a sua lógica após este pequeno, repito pequeno período de ausência! Nunca deixei as terras de Camões e nem penso em fazê-lo...

Vamos dar uma voltinha por Espanha?!! Afinal há a apanha do morango e as Tortilhas!

Fiquemos pela tortilha... prima do segundo grau das "Omelettes" por parte do pai francês e das "Fritattas" por parte da mãe italiana ou será da tia ou da outra prima ou até da vizinha... pois bem não interessa! Ficou tudo em família... a boa moda antiga!

As tortilhas são fantásticas, são práticas e comem-se num piscar de olho... Um flirt nas horas do lanche ou então uma bela companhia para uma refeição! Mira... estamos hablando de tortillas!




Tortilha Perdida...









Aqui fica o roteiro da minha tortilha...

Começamos por pôr numa frigideira anti aderente um fio de azeite e uma cebola cortada a rodela. Deixá-la saltear.

Juntar a cebola, batata a rodela previamente frita.

Dispor por camadas tudo o que quiser... Faça um assalto ao frigorífico sem medo! Eu coloquei fiambre, presunto, cenoura e salsicha.

Entretanto bater 6 ovos e temperar com um q.b de sal e pimenta!

Continuemos viagem... Regar os ovos sobre o preparado e por fim cobrir com umas fatias de queijo flamengo.

Levar ao forno durante cerca de 15 min. para terminar a sua cozedura... E já está!



And then she'd say it's OK

I got lost on the way

But I'm a Supergirl and Supergirls don't cry





domingo, 13 de janeiro de 2008

Boa Sorte... Good Luck






Podia ser um post dedicado a Vanessa da Mata e ao gentleman Ben Harper mas não!

Está na hora de falarmos de lentilhas... essas sim são música para os meus ouvidos!

Simplesmente adoro-as... Há já muito tempo que não olhava para elas nem segredávamos musiquinhas!

O tempo passa mas as recordações permanecem... Estava na hora de recuar no tempo e recuperar um dos seus maiores êxitos, "Apeteces -me".

Garanto vale mesmo a pena cantarolar a próxima receita! Caso não tenham ficado convencidos, meus caros amigos, essas pequenas leguminosas são conhecidas nos países da América Latina por atrair boa sorte! E essa?!...




"Apeteces-me"






Este creme de lentilhas é muito rápido de fazer e de saborear.

Num tacho fazer um refogado com azeite e cebola. Deixar saltear a cebola e adicionar um pouco de alho picado. Adicionar água, as lentilhas previamente demolhadas de um dia para outro e alguma batata crua.

Deixar tudo cozer. A meio da cozedura aromatizar com um raminho de salsa.

Retirar do lume e com a varinha mágica ralar tudo. Para finalizar liga o creme com natas e tempere a gosto.


Por vezes gritar a plenos pulmões "Apeteces-me" pode trazer mesmo Boa Sorte... Good Luck!

É isso aí...




domingo, 6 de janeiro de 2008

A Princess without a crown...




A Patanisca de regresso a blogosfera, após uma longa viagem pelas terras de Belém acompanhada por Belchior, Gaspar e Baltasar (muito bem acompanhada!) traz-vos uma receita digna da data dos Reis.

De espírito aventureiro a Patanisca mergulhou nas profundezas do surreal e rendeu-se a perdição!

Podia ser um Bolo Rei meus amigos... tão típico do nosso pequeno cantinho, mas não!!!! Não sou muito dada a fruta cristalizada... só mesmo por isso.

Trago hoje uma receita que me traz tão boas lembranças... fico 100% nostalgica quando dou a primeira trinca! Vá nostalgica ... mas feliz!

Galette des Rois, assim se chama... Nós temos o Bolo Rei, os franceses têm a Galette des Rois!
Doce tão típico dos nossos quase quase quase nuestros hermanos, feito com massa folhada e um recheio de amêndoa... hummmmmm... E como manda a tradição é também preciso andar de coroa na cabeça.


Podia ser ouro, podia ser mirra ou incenso mas opa... é preciso originalidade! Fica aí o meu presente... e as fotografias da minha expedição com os 3 Reis Magos! Siga pá Vigo...




Galette des Rois














Recheio de amêndoa
100gr de manteiga
100gr de açúcar
3 gemas de ovo
100 gr de amêndoa moída
3cl de rhum


Trabalhar em pasta a margarina com o açúcar e adicionar as gemas de ovo ao preparado. Misturar tudo muito bem e acrescentar a amendoa e por fim o rhum. Reserva.



Creme pasteleiro
1/4 de leite
2 gemas de ovo
50gr de açúcar
25 gr de farinha



Numa caçarola misturar a farinha com o açucar e adicona o leite. Leva ao lume e junta as gemas de ovo mexendo sempre com as varas. Deixa cozer durante 2 a 3 minutos.
Junta o recheio de amêndoa ao creme pasteleiro. Envolva tudo.


Numa forma de tarte coloque uma base de massa folhada, verta o recheio e tapa com outra base de massa folhada. A massa folhada, essa sim compro-a já feita!
Pincele a parte de cima da Galette, geralmente faz-se uns desenhos eu optei pôr uma coroa... coloca-la onde ela não existe. Leva ao forno até ficar dourada.



Mas que rica prenda!!!!







Agora so me falta cantar as Janeiras!

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Venha Ouro, Incenso e Mirra...






A saborear ainda 2007, a Patanisca promete voltar em breve, muito em breve, com novas receitas...





Até lá, vou fazer companhia aos Reis Magos!!! :D





terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Eu quiche, Tu quiches, Nós quichamos...




Eu e a quiche somos cúmplices... daquele tipo de amiguinhas que não se largam, onde está uma a outra vem logo atrás! Será escusado dizer que quem anda sempre atrás sou eu!


Ela é versatil, consegue ser modesta, brincalhona, atrevidolas... mas que ricos momentos nos passamos!
Mas vou aqui confessar algo que talvez nao tenha dito a muita gente!


O primeiro impacto quando a conheci foi muito mau, terrivelmente mau!


Ainda me me lembro como se fosse ontem... Foi num daqueles dias em que a hora do almoço mais parecia um coffee break... Qualquer petisco era bem vindo.
Procurei e até simpatizei com uma quiche Lorraîne exposta! Tipo uauuuuuuuuu... quiche Lorraîne é a MÃE DAS QUICHE! Linda mesmo amarelinha (na altura não existia os ovos pasteurizados).
E lá foi ela embrulhada num saquinho de papel para ser degustada pelo caminho. Qual quê... depois da primeirada dentada ficou mesmo pelo caminho! Acho que não vale a pena alargar-me nos pormenores.


O tempo passou, a desilusão atenuou até que um dia aprendi a fazer a massa da quiche, a massa quebrada, e o recheio da quiche Lorraîne! Não é que viramos melhores amigas desde então... há coisas fantasticas, não há?!


Pois bem como o tema é da amizade... aqui fica a minha receita de hoje! Sim nunca tenho uma fixa...
Tenho a minha quiche mas as quichamigas da minha quiche também são minhas amigas!


Façam a massa em casa sem receios... muito saborosa e hiper prática. O recheio é a vontade de cada um... o importante mesmo é a partilha!


Dê a quem mais gostar porque eles de certeza que (a) vão adorar!!!!





Quiche + Patanisca Forever Friends com Legumes e Pitada de Caril a Mistura













Para a massa quebrada...

125 gr de farinha
50 gr de margarina
1 ovo
Água e sal q.b




Mistura todos os ingredientes até formar uma massa homogénea. Polvilha a mesa com farinha e estenda-a com o rolo da massa. Forre uma forma sem fundo previamente untada com margarina e farinha.


Para o recheio...



Como eu já tinha dito não tenho uma quiche pré-defenida, tudo depende do meu estado de espirito no momento!
Mas deixo esta aqui hoje... porque simplesmente amei-a! Cheia de legumes e um sabor leve a caril.


Começei por laminar umas fatias muito finas de lombo assado que tinha-me sobrado do almoço e forrei a base da massa. Cobri o lombo de porco com uma folhas de espinafres e uma juliana muito fina de couve rouxa. Adicionei um pouco de cenoura também em juliana, ficou tudo cheio de cor tal como eu gosto!

Por fim, para terminar essa festa dos legumes não pude deixar de parte uma couve-flôr cozida.
Já terminado o recheio, à parte misturei 1 colher de sopa de farinha com 200 ml de natas com 2dl de leite e 4 ovos inteiros. Adiocionei caril, sal e pimenta, aí aplico o famodo q.b.
Regar sobre o preparado e leva ao forno a uma temperatura média durante cerca de 25 minutos.



A partilha é muito bonita... afinal é Natal!!!!



Um óptimo Natal cheio de coisas boas, cheio de amor, mimos, prendas, doçarias, risos... Amor amor amor e mais amor.

São os votos da Patanisca



"In the end only kindness matters"






quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Desafi(nado)





Andava eu, a semana passada a passear-me pelas ruelas da blogosfera, a piscar o olho aos meus blog diários favoritos, quando reparo que aqui se lançava um desafio!!! Alto aí... Adoro desafios, principalmente quando sei que estão a minha altura!


Há que jogar pelo seguro. Shiuuuuuuuuuuuuu... Uma constante que acompanha-me todos os dias e costuma funcionar!
Um murmurar que entoa os meus ouvidos logo ao acordar, uma regra que dita os meus passos mal que me levanto, um ideal ideializado para idealizar um mundo ainda mais idealizado por outros idealizadores. Ohhhhhhhhhhhhh... Afinal aqui arrisca-se!


Mais uma prova?!


Ora aqui deixo a minha resposta um pouco adulterada, remexida, arriscada, usada, desafinada, remoida, reciclada, reutilizada e degustada!




Muffins... mas de Delícias do Mar







250gr de delicias do mar
125gr de farinha
2 Ovos
1 Cc de sopa de azeite
0,70 Dl leite
1,4 Dl água
½ Cebola
2 dentes de alho
Fermento
Salsa
Sal e pimenta q.b


Cortar as delícias do mar. Picar a cebola, o alho, e a salsa.

Numa tigela colocar a farinha com a cebola e o alho. Juntar os ovos 1 a 1 sempre a mexer, a água e o leite, as delícias de caranguejo e o azeite. Por fim a salsa picada, o sal e a pimenta.

Untar ramequins e recheia-los com o preparado.

Vai ao forno a temperatura de 180ºC durante cerca de 20 a 25 minutos.

Enquanto aguarda fica aqui um pensamento... quem não arrisca não petisca!


"Que no peito dos desafinados
também bate um coração"



quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

O rolo da massa para quem se portou mal...





Aqui a Patanisca tem andado bastante preguiçosa... poucas novas receitas tem experimentado! Aproxima-se a época natalícia e o tempo voa-nos! Mas afinal quem disse que ele nos pertence?!
Que o podíamos controlar?! Bahhhhh... Já é Natal...


Por isso, hoje trago uma receita para todos os meninos e meninas que queiram comportar-se de uma forma não tão correcta, mais ociosa... É feio mas sabe bem! Há outros prazeres para além da cozinha... é só aproveitá-los! O tempo, o tempo, o tempo... pois o tempo!


Como menina rebelde, defensora do que é bom, trago uma pizza de massa caseira inspirada no livro de Jamie Oliver. Já não é primeira vez que experimento fazer a massa em casa, é muito fácil mas os ingredientes que ele apresenta não os encontrei todos.
Por isso, descaradamente modifiquei a receita.
Para o recheio assaltei o pobre do meu frigorífico... foi um assalto meigo garanto!




Pizza cá se faz, cá se come mas com Meiguice









Perdoa-me Jamie mas fica aqui a minha receita! Sem rancor...

1kg de farinha de trigo

sal fino

14 gr de fermento

1 cc de sopa de açúcar castanho

650 ml de água morna.

Ervas finas

Manjericão

A receita original tem 2 tipos de farinha. A farinha de trigo e a sêmola de trigo. A primeira vez que experimentei comprei sêmola de milho, a única sêmola que encontrei no mercado. A massa estava boa mas muito pesada, por isso decidi abandonar a sêmola e dedicar-me apenas a farinha de trigo.

É verdade 1kg de farinha deu muita massa... fica aqui uma sugestão, congela em doses individuais!

Num recipiente, junte a farinha, o fermento e o sal. Abra uma cavidade a meio e junte a água morna com o açúcar castanho. Polvilhe as mãos e começa por misturar tudo muito bem. Quando a massa se ligar e começar por ficar dura, introduza as ervas finas e o manjericão. A base da pizza fica muito aromática!

Forma uma bola e passa-a para uma superfície limpa polvilhada de farinha. É altura de trabalhar com ela! Passados 10 minutos, polvilha a massa com um pouco de farinha e deixa-a descansar enquanto está a preparar o recheio.

O recheio é ao gosto de cada um... Mas um bom molho de tomate caseiro e um pesto a mistura são indispensáveis para mim!




Show
yo lovvvvvvvve ladies and gentleman! Mas com meiguice...





quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Shut your eyes...




Esta semana tem sido de doidos... Não tenho tido tempo para nada nem para ninguém!

Sempre a correr de um lado para outro e sem saber para onde ir... a mercê do tempo e do destino.

Hoje trago para o diário de uma patanisca um bolo de chocolate... dos meus tempos de menina de liceu! E garanto já foi há algum tempo sim...

Depois das aulas ou então no intervalo para o almoço, eu e as minhas amigas reuniamos os escudos e iamos a um restaurante café conhecido aqui na zona para comer uma fatia do melhor bolo de chocolate de todos os tempo!
Não era muito húmido nem muito seco e depois tinha uma cobertura de chocoate que deslizavaaaaaaa e nunca mais acabava.

Era uma pessoa feliz naqueles 5 minutos de pura degustação!

Passaram os anos, entrei para faculdade em fiscalidade, o que não durou muito tempo, mudei de curso e fui parar até ao Porto! Os melhores anos da minha vida... mas sem o bendito bolo chocolate!

Terminei o curso com as melhores recordações, começei a trabalhar e graças a ele veio ao meu encontro a pessoa que fazia o tal e tão aclamado bolo de chocolate!

Destino??? Gosto pensar que sim, já tive alguns desencontros encontrados em dias e horas que para mim eram improváveis de acontecer... Por isso, quero e gosto mesmo de pensar que o destino realmente existe, apesar de sermos nós a fazer a nossa sorte!

E foi o que aconteceu, o destino veio ter comigo e eu tive a sorte de perguntar.


"E FE RE A"





Bolo muito rápido de fazer e muito rápido de comer!

  • 2 chávenas de farinha
  • 1 chévena de açúcar
  • 1 chavena de chocolate em pó
  • 1 chavena de óleo
  • 1 chavena àgua morna
  • 6 ovos
  • 1 cc chá de fermento

Juntar todos os ingredientes e miturar tudo. Leva ao forno a 180ºc numa forma polvilhada de farinha durante cerca de meia hora.

Entretanto preparar uma calda de chocalate. Miturar 1 chávena de leite com 2 colheres de sopa de chocolate em pó. Vai ao lume e regar o bolo ja quando este estiver cozido. Deixar repousar.

Depois de desenformar, cobrir o bolo com uma pasta de chocolate derretida com pouco de manteiga e leite.

Continuarão a fazer este bolo?! hum... não sei! Os tempos de liceu já foram...




"Shut your eyes and think of somewhere

You'll feel dizzy, light and free... "

sábado, 1 de dezembro de 2007

Chama-lhe Noddy...



É verdade há nomes complicados!!! Nomes que me fazem passar vergonhas depois de tanta repetição que chego quase ao ponto da gaguez!

Hoje dou espaço aos noodles no diário de uma patanisca... ora aí está uma marota! Palavras, meus amigos, estou a falar das palavras!!!! Não vamos entrar no campo da má interpretação e afins...

Noddy?!!! Node...Noodles... nu, na, no dles... huiiii que complicação! Mas que raio... Ora bem, só vos digo uma coisa, vale bem a pena torcer a língua por este nome!!!

Vi no outro dia no blog da pipoka uma variação de uma sopa Malaia. Mas que bom aspecto tinha e lá estava ela, a palavrinha que desencadeou uma revolução na minha cozinha! Noodles...




Noddy brinca com Tamboril e suas amiguinhas Gambas na Selva da Mistura Chinesa







Começa por fazer um refogado com cebola picada e azeite.

Deixa estalar a cebola e introduza gengibre picadinho. Deixa refogar um pouco mas atenção tal como o alho, o gengibre tem tendência a ficar queimado rapidamente. Quando estiver prestes a acontecer introduza um pouco de agua.

Deixa ferver e adiciona 2 cubos de caldo de legumes. Acrescenta àgua e deixa levantar fervura.

Entretanto noutra caçarola, ponha àgua a ferver temperada com sal. Introduza os noodles e desligue imediatamente o lume. Deixa repousar 4 minutos e mistura a massa com a ajuda de uma garfo. Depois disso é só escorrer.

Por esta altura, a base do nosso caldo já está a ferver. Introduza à mistura chinesa. Já a comprei assim na secção dos congelados, dá para cozer ou para saltear e tem um aspecto tão agradável com uma imensa mistura de vegetais e cogumelos. Está aprovado pela patanisca!

Se tiver a mão uma malagueta corte em juliana muito fina e de seguida pica. Junta a mistura chinesa.

Tempere com sal a gosto. Quando os legumes estiverem a meia cozedura, junta ao caldo, o tamboril cortado em cubinhos e as gambas sem casca. Deixa tudo cozer.

Mistura os noodles ao caldo e aromatiza com salsa picada.


É beber super mega hiper ri-quente e vamos gritar um viva porque é o Noddy! Abram alas!

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Agora é a minha vez...




Amigo tozé!


Aponto-te o dedo e digo que és o culpado! A ideia de o diário de uma patanisca veio de ti... isso foi talvez há uns 2 anos ahahhaha mas só agora tive coragem de escrevê-lo.

Sim porque isso de fazer um blog não é fácil, o tempo que demorei a tentar descobrir como se punha a fotografia da minha pessoa no perfil!!! :D "Sem foto não há blog" foi o que te respondi! Mas depois de tanto insistência lá consegui...

Depois foste tu que me lançaste na blogosfera e deixaste o primeiro comentário!!! Obrigada...

Por isso agora é a minha vez!

É com enorme prazer que deixo aqui o desafio do meu amigo tozé e dizer que vale a pena participar!
Entopem a caixa de correio desse rabanete! :P


Vale mesmo a pena!



Uma imagem... Mil emoções





Esta imagem fascina-me! Mas não vou dizer mais nada... fica entre mim e o tozé.

Por isso... força aí!

Interpretam esta imagem e enviam os vossos textos para tozribeiro@gmail.com